7 motivos que tornam Beyoncé a maior diva da atualidade

Beyoncé chegou ao Brasil para uma série de shows. Conhecida e idolatrada por fãs ao redor do mundo, a cantora reúne características básicas para uma estrela pop: é bonita, dança e canta bem e tem sex appeal. Mas não é só disso que Beyoncé Giselle Knowles é composta. Sua veia empresarial, carreira de atriz e até o relacionamento familiar são pilares essencial para o seu sucesso. Por isso, o Omelete listou alguns motivos que a tornaram uma das maiores cantoras da atualidade.

Desde pequena

Beyoncé descobriu que tinha potencial como cantora durante aulas de dança - a professora cantarolou uma música e a pequena continuou a melodia, atingindo todas as notas difíceis. Aos sete anos, participou de um show de talentos no colégio. Ganhou ao cantar "Imagine", de John Lennon, derrotando veteranos de 15 e 16 anos.

Destiny's Child

O nome do conjunto foi inspirado por uma passagem do Livro de Isaías na Bíblia. Kelly Rowland e Beyoncé, amigas de infância, conheceram LaTavia Roberson aos nove anos de idade. Inicialmente, o grupo se chamouGirl's Tyme  e tinha seis garotas. As meninas treinavam nos fundos do salão de beleza de Tina Knowles e ouviam dicas dos clientes. De 1998 a 2006, as três lançaram seis álbuns, que venderam mais de 60 milhões de unidades.

Dança, dança e mais dança

Beyoncé já negou o boato de que, para manter todo aquele fôlego, canta enquanto corre na esteira usando salto alto. Porém, ela realmente treina suas coreografias com sapatos de salto alto. Em 2009, a cantora disse à Billboard que chega a ensaiar desta maneira durante 12 horas por dia - e todos os dançarinos têm que fazer o mesmo.

Carreira solo

Apesar de ser a mais famosa das Child, Beyoncé foi a última a lançar um disco solo. O seu primeiro trabalho sozinha, a música "After All Is Said and Done", foi feito em 1999, mas o disco que a revelou como a grande artista do grupo foi Dangerously in Love, de 2003. De cara, a moça levou cinco Grammys e vendeu mais de 11 milhões de cópias. O segundo trabalho, B'Day, veio três anos depois e sucessos como "Irreplaceable" e "Deja Vú".

As vendas diminuiram, mas a popularidade cresceu. Beyoncé estava cada vez mais incluída na mídia, não importava qual o meio - nesse meio tempo, ela estrelou Dreamgirls, um de seus filmes de maior sucesso. O terceiro álbum da cantora mostra uma mudança maior em seu ritmo e som. I Am... Sasha Fierce apresentou ao público o alter-ego da artista, que acabou levando cinco Grammys novamente.

4, o seu último disco, a consagrou como segunda mulher a ter quatro discos estreando no primeiro lugar das paradas. Hoje, estima-se que Beyoncé tenha vendido mais de 50 milhões de discos. Além disso, ela se tornou a terceiro mulher mais premiada dos Grammys, com 17 gramofones.

Família de sucesso

Além do glamour que a fama e o sucesso trazem, Beyoncé continua a ser uma tradicional moça de família - de acordo com os limites que sua vida permite, óbvio. Seu marido, o rapper Jay Z, é a versão masculina do seu progresso: negro, pioneiro no setor musical, empresário renomado e um dos nomes mais reconhecidos quando se fala de rap mundo agora. A parceria entre ambos tem a gravadora Roc Nation como um de seu frutos.

Dentro deste selo estão artistas como Rihanna, Kanye West, Alicia Keys, Pharrell Williams, Linkin Park e Ja Rule, por exemplo. Sem contar que Matthew Knowles, pai de Beyoncé, é seu empresário e até I Am... Sasha Fierce, ele produzia os álbuns da artista. Não há como esquecer também de Blue Ivy, filha do casal, que segundo Beyoncé, "veio para mudar os parâmetros e a forma como ela enxerga as coisas".

Carreira de atriz

Tal qual demanda o mercado atual, Beyoncé é multifacetada. Além de cantar e dançar como pouquíssimos, Knowles tem uma carreira de atriz estabelecida. Após participar de alguns pequenos programas na TV, a artista apareceu pela primeira vez com grande papel em Austin Powers e o Membro de Ouro. Aparições simples em A Pantera Cor de Rosa e Resistindo a Tentações foram a abertura para a escalação em Dreamgirls: Em Busca de um Sonho, de 2006.

Além de ter sido elogiada pela crítica, Beyoncé foi presença constante nas premiações e emendou logo o papel de Etta James em Cadillac Records, onde realmente ganhou destaque e se revelou boa atriz. Depois disso, a cantora dublou algumas animações e fez participação especial em outros produtos, mas focou mesmo na música. Ainda assim, não seria surpresa se ela novamente surgir nas telonas, afinal, ela não fez feio quando optou pela sétima arte.

Empresária

Beyoncé não só canta, dança, atua e faz sucesso, como também comanda e produz tudo isso. Ela é a grande mente por trás de sua trajetória empresarial. Beyoncé é uma das maiores empresárias do showbusiness americano, sendo dona de diversas marcas de roupa, acessórios para casa e, lógico, todo o espólio derivado de sua música. Junto com Jay-Z, ela descobre artistas mundo afora. Parte dessa desconhecida faceta é mostrada no bom documentário Life is But a Dream, produzido pela HBO e dirigido por ninguém menos que a própria Beyoncé.

Powered by Omelete / Foto: Reprodução - Facebook